Despimos ou vestimos máscaras no carnaval?

É tempo de tirar as fantasias do armário, enfeitar a cidade com diversas cores e ritmos, colocar as máscaras e cair na folia.

Ah o carnaval! Época tão aguardada por muitos e que tem a cara do Brasil. A impressão é que, por alguns dias, tudo vira festa.

Tem uma frase de João Bosco que diz “Fantasia é um troço que o cara tira no carnaval”. Por assumir um caráter mais permissivo, este período carnavalesco aviva comportamentos que apenas são aceitos e/ou reproduzidos nesta época do ano.

Ser mais um na multidão e isentar-se da responsabilidade dos seus próprios atos e impulsos. Afinal, despimos ou vestimos máscaras no carnaval? Se a liberdade é maior, os desejos encobertos podem revelar-se e serem aceitos com maior facilidade, afinal, é carnaval! E é nesta justificativa que segue este período que ocorre geralmente em fevereiro e que, inclusive, tem se estendido; iniciando em janeiro e finalizando em março.

Alguns excessos são cometidos nesta época e sabe-se que o excesso esconde a falta. Se nos propuséssemos a trabalhar nossas faltas, talvez esses excessos diminuíssem e, até mesmo, daríamos um outro sentido aos eventos que ocorrem durante o ano onde nos sentimos mais livres para fazer o que queremos, mas reprimimos por diversos motivos.

Por haver uma liberdade maior em se expor e vestir as máscaras e as fantasias que desejam, as pessoas podem acabar se revelando mais, sem se darem conta disso. A liberdade está diretamente ligada à responsabilidade. Se implicar naquilo que faz e assumir os atos é algo difícil de aprofundar e trabalhar ainda mais no cenário que toma conta do nosso país neste período de folia.

Então é carnaval! E você já entrou no clima carnavalesco?

bruna godoy bhdicas 1

Foto: google

Site da Psicóloga: #cliqueaqui .

Sem Comentários ainda

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.

Hugo Sasdelli

BH Dicas

CONECTE-SE

Verdemar