Home #CORRENATY Volta Internacional da Pampulha
0

Volta Internacional da Pampulha

0
0

Domingo passado, dia 06/12, como sabem foi a corrida mais importante para a nossa cidade: Volta Internacional da Pampulha.

nat pampulha bhdicasEssa prova adquiriu a fama por ser uma das poucas com o apoio da Rede Globo, portanto conta com uma organização e visibilidade bem maior que as outras corridas que acontecem por aqui!

Tenho que confessar, que a #VoltadaPampulha não é difícil apenas pela sua distância de 18 km (quase uma meia maratona!). Apesar de ser um percurso plano, o clima por lá sempre é: ou chuva ou sauna! Rs. Além disso, a Lagoa possui muitas curvas, e para quem não aprendeu a tangenciá-las, pode tornar-se um problema: você corre mais do que precisa.

A ultima vez que corri por lá foi há 4 anos atrás, quando fiz meu melhor tempo, e também sofri mais! Fiquei um pouco traumatizada e fugi dela por alguns anos. Esse ano resolvi corrê-la: afinal, é A prova da minha cidade!!!

Fiquei impressionada como a organização melhorou, como os corredores melhoraram (!!!) Mas o caso que quero compartilhar nesse post, muito mais que meu tempo (1:23) e treinamentos… É a história do meu primo, Lucas Gonzales (26 anos) que me emocionou muito.

Há 4 meses atrás: – “Natyyy! Vou precisar da sua ajuda! No primeiro culto do ano da minha igreja, dei uma palavra sobre metas, desafios e fazer algo diferente em 2015. Eu prometi no pulpito que ia dar a Volta na Lagoa da Pampulha! E agora lembrei que tá quase chegando, eu ainda não fiz nada….e tô ferrado!!!”

lucas pampulha bhdicasE foi assim que Lucas, um gigante de 2.05m, pé 47, saiu do sedentarismo depois de 4 anos. Ele jogou tênis de pequeno, mas desde entrou na universidade,  começou a trabalhar muito, casou-se,  e passou a considerar o esporte como “lazer” erroneamente, como muitos fazem.

Há um tempo, o aconselhei a entrar para o pilates (que sou fã), e a situação dele melhorou, rs. Há 4 meses, ajudei com algumas dicas e treinos para correr a Volta da Pampulha. Confesso que no fundo, senti pena, pois achava que ele iria sofrer demais, e aquela não seria a prova que indicaria para um estreante. Mas, adoro pessoas ousadas, corajosas e que se desafiam. E amei poder ajudá-lo nessa etapa!!! Todos os dias ele me mandava mensagem com dúvidas, perguntas e os feedbacks dos treinos, e eu ficava muito feliz!

Mas de tudo, o que mais me emocionou foi que, “logo de cara”, ele já sentiu e aprendeu quase tudo que eu tento “passar” sobre a corrida para as pessoas.

A mudança que a corrida opera em nós, ao contrário do que muitos pensam, começa de dentro para fora. Me apaixonei por correr, não somente pela endorfina e e aquela sensação “boa”; mas principalmente por todos os ensinamentos que ela nos traz. Apesar de correr há 13 anos, até hoje me emociono, aprendo, reflito e me mudo.

 A CORRIDA É UMA METÁFORA DA VIDA.

 Após correr os 18 km, Lucas, meu primo,  compartilhou na igreja em que ele é Pastor as seguintes lições:

“Morei na Pampulha 21 anos e nunca nem caminhei na lagoa. Pra mim era loucura, todo mundo doido! Durante meus treinos, percebi que a corrida é como nossa corrida na vida cristã. Como já disse o apóstolo Paulo: “Corramos com perseverança a corrida que nos é proposta.” “Não sabem  que os corredores numa corrida correm todos, mas apenas um recebe o prêmio? Correi de tal modo, que o possais alcançar.” — 1 Cor. 9:24.

Lucas, aprendeu que para correr com perseverança, é preciso muito mais que fôlego e boa alimentação.

Precisei mudar a cabeça e meus hábitos. Para mim não tinha nada demais dormir até tarde no domingo… Mas se eu queria conseguir completar a prova, tinha que acostumar a mudar meus hábitos e minha mente “preguiçosa”. É preciso ser humilde e pedir ajuda a quem “sabe mais” que você. Precisei procurar pessoas que entendiam mais que eu sobre a corrida. Buscar informações e me preparar. Não adianta me encorajar e não me preparar. É importante torcer e compartilhar as conquistas. Fugi das pessoas que me desanimavam. Dividi meus treinos e conquistas graduais apenas com aqueles que torciam e me incentivavam. Seja um incentivador de pessoas. E ao mesmo tempo, não tenha medo de compartilhar sua alegria. Não dê ouvidos para os pessimistas. Ter disciplina. Foi a parte mais difícil. Acostumar a correr cansado, com vontade de estar em outro lugar. Sacrificar nosso corpo e nosso “eu” é um treinamento muito mais espiritual que físico. Acreditar na própria capacidade de superação. Você precisa acreditar que é capaz. Assim como na vida cristã, Deus disse que não nos daria fardo maior do que podemos suportar. Assim como na corrida, saber que “damos conta” e repetir isso continuamente para nós mesmos, é fundamental. Dar o primeiro passo, mesmo que seja “no escuro”. Fui um dos primeiros a me inscrever na prova, e não tinha idéia de como começar a correr. Deus quer que primeiro “coloquemos o pé” para depois ele colocar o “chão” debaixo deles. Fé e coragem são características de um vencedor. Quanto maior o  desafio, maior deve ser a nossa vontade de vencer!!!”  Não adianta escolhermos um desafio que temos certeza que damos conta. Ele não provocará em nós nenhuma mudança marcante e nenhuma alegria extraordinária!

E no final, ele ainda completou: – “Naty, Ano que vem quero baixar meu tempo!!!”

Hahahha Ameiiii!!!!

volta da pampulha bhdicas

Fica aqui o incentivo de alguém que se propôs a passar por momentos de mudança e desafios. A vida deve ser assim: com sossegos e apertos, dificuldades e conquistas, lutas e vitórias! Se não for assim… sua vida vai apenas “passar” por aqui. E não é isso que queremos:  A VIDA É SÓ UMA!

 Vamos correr para pegar esse troféu único, que com certeza: ESTÁ DENTRO DE NÓS!!!!

 Beijos!!!

assinatura natália vasconcelos

tags:

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *