Mercado da Boca: você precisa conhecer!

Ei Gente! Tudo bem?

Anota aí a dica, que esse Mercado, provavelmente, vai fazer parte da nossa vida!

Fui lá conhecer o Mercado da Boca na semana passada e adorei! Era um evento fechado para apresentação do espaço, dos restaurantes e de como será o funcionamento de tudo. Eu fiquei encantada.

Da arquitetura aos comes, a cidade está ganhando uma excelente opção e a gente, que adora comer bem, rodeada de amigos e família, agradece.

 

O espaço está lindo!

São dois andares. Os restaurantes ficam em volta e as mesas comunitárias no centro dividem o ambiente com com as ilhas de bebidas. Bar de Gin, drinks, vinhos, chope e cervejas artesanais. Tem também o “Espaço da Boca“, reservado para workshop e vários cursos gastronômicos, um espaço kids – “Ora Bolinhas“, varanda, lojinha (linda!!!) e estacionamento para 400 carros (cuidado com o preço). Tem um espaço reservado para eventos também e uma adega.

Foto: BH Dicas

Os restaurantes. Cada um mais mara que o outro! Parece uma praça de alimentação? Acho que não só parece.. é! E tudo bem, não?

Alguns restaurantes ganharam nova versão que leva o nome dos chefs. Flávio Trombino do Xapuri está lá com a “comida de beira de estrada” e doces maravilhosos que você pode inclusive levar pra casa. Fred Trindade do restaurante Trindade também abre seu espaço no mercado com o nome dele, assim como Ivo Faria do Vecchio Sogno. O Chef Rodrigo Zarife, apaixonado por frutos do mar e conhecido por comandar a famosa paella no Festival de Tiradentes há anos, chega ao nosso Mercado da Boca e também o francês Emmanuel Ruz, dono de uma estrela Michelin no Restaurante francês Lou Fassum. Tamo é chic, né? E já tô chamando o mercado de nosso, porque vou frequentar demais!

Foto: BH Dicas

Felipe Rameh também está por lá com seu Alma Chef, Green Up e Green Up Café que teve consultoria de ninguém menos que Felipe Brazza, barista referência quando o assunto é café!

Chef Jaime Solares , da Borracharia Gastrobar, leva a versão da sua Borracharia para o Mercado. A Boca do Forno se apresenta como “La Boqueria” e o Buffet Rullus abre o “Experiência Rullus”. Carrinhos do Mi Garba e Oh My Churros! também fazem parte do Mercado e contribuem com louvor, para a cota de doce!!!

A Padaria.

Chamada de “Marché Du Pain“, três grandes padarias que nós belorizontinos adoramos, se uniram para nos proporcionar pães maravilhosos. E são viu? Experimentei vários, mas têm um pão com amêndoas e leite condensado, que huuuum…. com um café, gente do céu! Perfeito! Outra delícia que experimentei no Mercado da Boca foi o burger do W. Burger, também uma exclusividade do mercado. Apenas coma.

Preço e forma de pagamento

Foto: bhdicas

Assim que você chega ao mercado, faz o cadastro e adquire o cartão por R$5,00. É com ele que você irá pagar em todos os estabelecimentos disponíveis no mercado. Você coloca o quanto de dinheiro desejar e não precisa preocupar, caso não tenha gasto tudo. Ele é seu e você pode usar de outras vezes. Mas se quiser devolver, pode também. É só pegar seu dinheiro de volta.

E os preços? A proposta do mercado é de ter valores mais acessíveis. No dia do evento não eram todos os restaurantes que estavam com os preços, mas espere uma média de R$30,00 por prato. Alguns mais caros e outros mais baratos.

Foto: bhdicas

O Mercado da Boca fica no Jardim Canadá, que pertence a cidade de Nova Lima. Mas é tão pertinho de Belo Horizonte que as duas cidades ganham. No inicio, é claro que vai lotar muito. A capacidade é para 1500 pessoas simultaneamente, então se você for uma dessas pessoas que vai assim que abrir, tenha tranquilidade e calma.

Quem é daqui sabe que no inicio as novidades ficam super lotadas, podem acontecer alguns problemas.. mas com o tempo tudo se ajeita.

Onde é: Rua Toronto, 156 no Jardim Canadá. Não é petfriendly. Espaço kids – Ora Bolinhas: funciona até as 22:00 hrs, paga por hora e tem monitor. Mas crianças até 3 anos precisam estar acompanhadas. Quando ir: Abre dia 8 de março –  quinta de 17:00 as 00:00 | sexta de 12:00 as 00:00 | sabado de 11:00 as 00:00 | dom de 11:00 as 20:00 hrs.

Restaurantes:

Alma Chef | Chef Emmanuel Ruz  | Chef Flavio Trombino  | Chef Fred Trindade | Chef Ivo Faria  | Chef Rodrigo Zarife  | Clandestino  | Experiência Rullus  | Green Up  | Green Up Café | La Boqueria  | La Macelleria  | Marché Du Pain | Mi Garba  | Morada Mexicana | Oh My Churros! | Patuscada  | Prima Napoletana  | Samba Fresh  | Tasca Lusitana | W.Burger

Me conta sua expectativa?

25 Comentários
  1. Quem é daqui sabe que no inicio as novidades ficam super lotadas, mas com o tempo tudo fecha. Ainda mais sendo um local longe (o falido Jardim Casa Mall), em que poucos irão animar a se deslocar para uma “praça de alimentação” com conceito europeu e preços caros. É esperar pra ver.

    1. Ei!
      Concordo com a parte que você diz que tradicionalmente aqui em BH coisas abrem e fecham com um tempo. Mas não acredito ser o caso. Muitos restaurantes bons, investimento alto e o Jardim Canadá vem crescendo. Mercado Grano é um sucesso e já tem tempo…(não se compara porque é 1 e beem menor..), mas de qualquer forma, tá lá. Outro ponto que acho que foi muitoooo bom é o horário de funcionamento. Perceba que eles não vão abrir todos os dias. Acho que será um sucesso, sim. Estou torcendo para que seja a excessão dentro dessa realidade Belorizontina. Vamos observar..
      Obrigada pela mensagem,
      Virginia

  2. Caso os preços não sejam atrativos, não vai decolar. É mais ou menos ou muito, uma cópia do mercado em Lisboa. Lá os precos são ótimos, com vinho e espumante ao alcance de qualquer bolso. Não pode é querer explorar, porque o lugar é fora de mão e sempre contando com alguém pra voltar dirigindo. Deveria ser mais central.

    1. Ei Flávio,
      Foi inspirado nesse Mercado da Ribeira de Lisboa mesmo. A proposta é ser mais acessível, mas a questão do transporte realmente é importante. Vão torcer, né?
      Obrigada pela contribuição.
      Ate
      Virginia

    1. Te entendi da seguinte forma Ramon: comida cara (R$ 30,00 em média), de acesso para privilegiados, e ainda querem que dê certo. Não deu certo como shopping do lar e decoração. Tentaram algo parecido com lojas de gripe no posto chefão, e até a última vez que passei por lá, várias estavam fechadas.

    2. Ei Ramom!
      Deixa eu ver se entendi: Lugares bons ou que tem comidas que custam em média 30 reais = lugares frequentados por simpatizantes determinado partido politico?
      So pq alguém é simpatizante de um determinado partido também tem que ser amiguinho de um tal Playboy Minas Rio?
      Então…..
      Se você contar pra gente que tem simpatia por ideologias de esquerda posso concluir que é amigo daquele presidente que só tem 9 dedos e inteligente como nossa saudosa ex boba da corte?
      Conta pra gente onde você e seus amigos gostam de ir!

  3. Fábio Filho
    Impressionante como é difícil empreender em BH. Uma proposta fantástica que deveria estar sendo enaltecida recebe uma série de comentários pessimistas e algoradoras .
    Acorda BH , vamos acabar com essa mentalidade invejosa e tacanha .

      1. Rs…
        Ei Ricardo.. Tudo bem?
        É que já falei ali o que eu acho, sabe? Concordo com o Fábio… É difícil demais empreender em BH. O Mercado tem uma proposta super legal, tem valores acessíveis, para todos os bolsos, e eu fico torcendo para dar muito certo.
        Respeito a opinião de cada um, entendo como funciona ‘a cidade’, mas espero de verdade que com o tempo essa realidade mude.
        Vamos valorizar o que é nosso, dar moral pra galera que rala todo dia, fazendo um bom trabalho… ahh enfim..
        Um dia vou fazer um post sobre isso para debatermos.
        Obrigada por acompanhar o blog e pela mensagem, viu?
        Até

  4. No Mercado da Ribeira os preços são fixos em €12. Os excelentes vinhos portugueses podem ser adquiridos por preços médios de €12 a €15. Espero que aqui no Boca tudo funcione dentro de nossa realidade e sem as “frescuras ” sempre presentes em locais da moda em BH.

    1. Ei Fernando,
      Doida pra conhecer esse de Portugal.
      É sim, acessível dentro da nossa realidade. Espero eu que não seja um lugar ‘da moda’ e vire um Mercado tradicional, onde as pessoas de BH vão frequentar e as visitas se interessar. Legal demais, sô. Nossa cidade ganhou muito.
      Um beijo

  5. Estive no Mercado e me decepcionei com os preços.
    À exceção de alguns restaurantes, os pratos principais ficam entre R$50 e R$60, o que considero muito alto para a proposta do lugar. É quase o mesmo valor de um prato nos melhores restaurantes da cidade, que oferecem uma experiência muito mais completa que aquela oferecida no Mercado da Boca (conforto, localização, ambiente, etc…). Justiça seja feita ao Ivo Faria, que vende os pratos ao preço máximo de R$39. Sei que aqueles que vendem os pratos por valores acima de R$50 vão argumentar que a matéria prima que utilizam (peixes, frutos do mar, etc) é mais cara (que eu me lembre o restaurante do Ivo só serve porco) , mas, ainda assim, acho que erraram a mão no preço dos pratos.
    Acho que os idealizadores do Mercado da Boca deveriam ter criado um valor limite (acho justo R$39) e caberia aos chefs proprietários desenvolver receitas levando-se em consideração tal limitação.
    O que vi no Mercado da Ribeira é a gastronomia de excelente qualidade combinada com preço acessível, o que, infelizmente, não vi no Mercado da Boca.
    De qualquer forma, parabenizo os idealizadores e investidores pela coragem e ousadia e torço muito para que a relação qualidadeXpreço melhore e o Mercado da Boca se torne referência no país.

    1. Ei Marcos,
      Tudo bem? Primeiro, obrigada por acompanhar o BH Dicas e pelo comentário.
      Minha amiga, Lea Araújo do Blog Degustatividade, fez um post maravilhoso com TODOS os preços dos restaurantes do Mercado da Boca, que sugiro a leitura: #cliqueaqui
      Eu, particularmente, não achei os preços altos.
      Claro, tem pratos mais caros, mas em todos os restaurantes tem opções em conta. No próprio Flávio Trombino, a maioria gira em torno de R$20, R$25, R$28.. e o mais caro R$59. Um Chef renomado, do gabarito do Xapuri… ou o proprio Ivo como você citou.. O Jaime Solares, Fred Trindade.. Ter acesso a gastronomia dele (e de outros tantos que estão lá) por esse valor.. é muito bom.
      Mas também, acredito que esse é um pensamento particular.
      O conceito de caro x barato, varia de pessoa para pessoa. No entanto, acho que tem um bom senso que nos permite debater e não acho que (pensando dentro de uma noção de um senso comum), os preços estejam fora da nossa realidade.
      Não acho que os pratos principais estejam no mesmo valor dos melhores restaurantes da cidade (você tem ido em algum? O preço do prato principal dos que eu considero restaurantes muito bons em BH, custam mais do que R$50,00 em quase todos)… Até fast food hoje em dia se aproxima desse valor.
      Eu ainda não conheço o Mercado da Ribeira em Portugal, então prefiro não opinar.
      Eu achei os preços no Mercado da boca justos, achei que é diverso e acredito que alcança vários perfis.
      O mercado é gastrônomico, com chefs importantes e ingredientes selecionados, de qualidade…
      Respeito sua opinião e acho válido o debate. Só não concordo com seu ponto.
      Obrigada por contribuir.
      Virginia

  6. Veja bem Virgínia. Eu mencionei “pratos principais”. Segundo o blog da Lea, o único prato principal do Flavio Trombino abaixo de R$50 é o ‘arroz preguento’, que, aliás, já provei no Xapuri é muito bom mesmo. Mas, a grande maioria dos ‘pratos principais’ ultrapassa sim os R$50. É claro que a percepção de valor é diferente para cada um, mas, mantenho minha opinião de que pratos principais entre R$50 e R$60 é muito para o tipo de ambiente proposto pelo Mercado.

    No mais, respondendo à sua pergunta – embora indelicada, SIM, tenho ido a bons restaurantes e, ao contrário do que colocado por você, não afirmei que os pratos nesses lugares custam R$50. O que eu disse e repito é que no Mercado os pratos principais giram entre R$50 e R$60 e em restaurantes como o Glouton, por exemplo, há pratos a partir de R$65. E, sinceramente, acredito que a experiência do Glouton é mais interessante.
    De qualquer forma, embora nosso ponto de vista seja diferente, torcemos pelo sucesso do empreendimento.

    1. Ei Marcos,
      É verdade, nesse ponto concordamos.
      Mas me desculpe se pareci indelicada, mensagens as vezes fazem isso. Eu quis dizer (sem mencionar restaurantes e exemplos) que vários dos quais eu gosto, a média de prato é R$70,00 R$80,00 reais.
      Enfim, eu também continuo achando que no geral, os restaurantes no Mercado da Boca oferecem boa gastronomia, não a preços populares, mas acessíveis, sabe? Se for pegar um por um, analisar, comparar, ver a qualidade, os chefs, tudo, acho que vale.
      Mas como já disse também acima, respeito a sua opinião e peço desculpas novamente se pareci invasiva e indelicada.
      Gostei do debate, Marcos. Acho que essas discussões são sempre enriquecedoras.
      🙂

    1. Ei Leandro,
      O estacionamento é terceirizado e bem caro a hora. Em volta tem outros estacionamentos que são mais em conta…
      Se for vale a pena procurar. Dependendo de onde vc morar, e do tanto de tempo que vai ficar la, até compensa ir de taxi / transporte por aplicativo.
      Abs

  7. Acho engraçado, as pessoas que estão aqui somente para reclamar, não entendem nada do conceito, que bom que querem imitar o mercado de Lisboa aqui em bh, vamos pensar fora da caixinha nehh, e por falar nisso amores quer comer de graça? So ir na casa dos seus parente domingo uai. em questão da localização achei ótimo, porque foge um pouco do miolo centenário de costume Lourdes/savassi… Adorei a proposta amei demais e não vejo a hora de poder voltar

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.

Hugo Sasdelli

BH Dicas

CONECTE-SE

Verdemar