O amor a um click de você

Ei gente!!!!

Dia dos namorados inspira amor! Convidei a querida da Renata Magliocca para dividir com a gente um pouquinho dos casos de amô, que ela encontra pelo seu caminho de casamenteira. Que honra, viu pessoal. Quem conhece a Renata sabe que é só energia boa <3 <3 <3

” Toda história de amor é única. E tem sempre um cupido. Aquela amiga comum, o colega de trabalho, um show qualquer e até o carnaval. A vida faz uma força danada para cada encontro acontecer: um segundo a mais, uma mensagem no rascunho e nada feito. Menos uma história de amor no mundo. E a nossa BH é craque em lançar flechas certeiras. Ô cidade cupido!

Foto: @jordanamorim | André e Léo

A Nayara e o Júnior se conheceram numa sexta no Observatório. O Fred e a Desirée num domingo no pagode do Primatas. A Lili e o Augusto tinham terminado e foi nos banquinhos da UFMG que eles decidiram não se largar mais. Lá se vão 8 anos e um casamento. Agora, nesse exato momento, quantos casais estão nascendo? Como casamenteira que sou posso afirmar: BH está cumprindo bem seu papel, cruzando não só avenida, fio, arranha-céu, mas olhares, mãos dadas, pessoas. A cada minuto é berço para novos ‘causos de amô’. Velhos também.

A Letícia e o Marcelo deram seu primeiro beijo no estacionamento do Verdemar. Pararam para comprar um bolo, salgadinhos e saíram de lá apaixonados. Mãos suando, frio na barriga, flutuando. O Pedro e a Ivana combinaram de se encontrar no Wine Experience, ele se antecipou, escolheu uma mesa virada para a porta. A Ivana chegou e ele nunca mais esqueceu: o vestido cinza, o sorriso dela, o alívio dele. O André e o Léo estavam apertados de grana, foram parar no Villa Paraty comendo umas iscas de peixe e saíram de lá enfrentando juntos o preconceito. Com a Aline e a Amanda foi parecido, se cruzaram num aplicativo de encontro e se conheceram numa pizzaria na Pampulha. A vista era linda, o céu inspirador e o garçom deu uma força. Era a primeira vez que elas se viam, mas parecia uma vida inteira. Um reencontro. 

Aquela sensação de velhos conhecidos é o que une as histórias de amor que BH é cupido. Talvez, seja essa coisa de cidade-ovo que fácil se cruza. Talvez, seja a gentileza grudada em cada um. Talvez, seja o sotaque irresistível. Toda história de amor é única. A gente nunca vai saber. 

Renata Magliocca é café com leite. Meio paulista, meio mineira. Psicóloga, poeta e celebrante de casamentos pela @contodevista. Em BH, foi batizada de contadora de ‘causo de amô’. Sempre vê, na vida, histórias e as preferidas são as que falam de amor. “

Foto: @manuantunes | Ivana e Pedro com Renata Maglioca

Gostaram? Para quem não conhece o trabalho da Renata, precisa conhecer urgente!!!! Sério mesmo, gente. Ela já me emocionou muito no evento do BH Dicas e eu estou contando os dias para comemorar minhas bodas de 10 anos de casada para que Renata possa celebrar!!!! Sou fã demais da conta!

Se você vai casar ou está pensando em celebrar alguma data, manda um e-mail pra ela: @contodevista@gmail.com

Beijos!

4 Comentários
  1. Ter a Renata Magliocca como nossa Santa Casamenteira sem dúvidas foi o ápice de nossa união. Ela consegue transmitir de maneira única, todo o amor e emoção que uma história de amor trás em sua bagagem. Todos nossos convidados ficaram super emocionados e a celebração foi leve e prazerosa de ser vista. Quem ainda não conhece seu trabalho precisa conhecer.

  2. A Renata é demais! Vai muita além de uma pessoa lendo um texto com a cara dos noivos… Ela é pura sensibilidade, pura entrega, pura emoção! Nunca me esquecerei da sensação de paz que tive ao chegar no altar em meio a uma tonelada de ansiedades, preocupações e medos! Foi sensacional pq pude aproveitar cada palavra e momento de sua celebração! Recebemos elogios até hj! Foi perfeito!

    1. Ei Ivana! Que legal sua mensagem. É verdade. Num momento tão especial poder contar com alguém que nem a Renata é demais. Ela é isso tudo mesmo. <3 <3

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.

BH Dicas

CONECTE-SE